Salvem o planeta Terra

O QUE SIGNIFICA ATAH TIAMAT?

Na linguagem dos sumérios antigos, ATAH é um pedido de socorro, de ajuda deseperada. e TIAMAT é o nome pelo qual identificavam o planeta Terra, sugerido pelos deuses Annunaki. Assim, ATAHTIAMAT quer dizer: AJUDEM (OU SOCORRAM) A TERRA!

Descoberta no México a maior pirâmide do mundo!

postado em 30/09/2016, às 21:42

Pesquisadores no México descobriram uma imensa pirâmide, ainda maior que a Pirâmide do Sol de Teotihuacan. Ela tem  75 metros de altura e foi explorada por especialistas do Instituto Nacional de Antropologia e História. Está localizada na acrópole de Tonina, Chiapas e é provável que tenha cerca de 1.700 anos de idade.

O diretor da zona arqueológica, Emiliano Gallaga, diz que o trabalho, feito ao longo de dois anos, verificou que a porção nordeste do local era, na verdade, a maior pirâmide no México. É comparável às pirâmides encontradas em Tikal e El Mirador da civilização maia.

Uma característica única é que existem  sete plataformas que servem como palácios, templos, habitação e que eram essencialmente  escritórios para administração. Essa estrutura única funcionava dentro da estrutura sócio-cultural, religiosa e política.

piramide-mexico
É uma grande surpresa ao ver que a pirâmide foi feita quase inteiramente por arquitetos pré-hispânicas e, portanto, é mais artificial do que natural“, diz Gallagas. “Isto é porque se acreditava que toda a estrutura era uma colina natural, mas a evidência recente revelou que a estrutura foi quase inteiramente construída por antigos habitantes.” Os arqueólogos observaram  que a pirâmide era muito maior do que eles esperavam que fosse. A estrutura tem estradas que atravessam ela também.

O complexo do templo-pirâmide foi construído em quatro etapas, a partir do século 3 aC até meados do século 9, e foi dedicado à divindade Quetzalcoatl. Ela tem uma base de 450 por 450 metros (1.480 por 1.480 pés) e uma altura de 66 m (217 pés). De acordo com o Guinness Book of Records, é na verdade a maior pirâmide, bem como o maior monumento já construído em qualquer lugar do mundo, com um volume total estimado em mais de 4,45 milhões de metros cúbicos, ainda maiores do que a da Grande Pirâmide de Gizé no Egito, que tem e cerca de 2,5 milhões de metros cúbicos. No entanto, a Grande Pirâmide de Gizé é maior em 138,8 metros (455 pés). As cerâmicas de Cholula estavam intimamente ligadas às de Teotihuacan, e ambos os locais declinaram simultaneamente. O Postclassic asteca acreditava que Xelhua construiu a Grande Pirâmide de Cholula.

No seu auge, Cholula teve a segunda maior população no México de cerca de 100.000 pessoas que vivem no local. Embora a cidade pré-hispânica de Cholula continuasse a ser habitada, a Grande Pirâmide foi abandonada no século 8 num momento em que a cidade sofreu uma queda drástica na população. Mesmo após esta queda na população, a Grande Pirâmide manteve o seu “status” de importancia.  Religiosamente foi chamada uma vez Acholollan (em Nahuatl), que significa lugar de voo.

Este significado levou alguns a acreditar que este local foi fundado após os seus habitantes originais fugirem (?) Em outros lugares. segundo o mito, a pirâmide foi construída por um gigante chamado Xelhua em tijolos de adobe, depois que ele escapou de uma inundação no vale vizinho do México. A pirâmide é constituída por seis estruturas sobrepostas, uma para cada grupo étnico que dominou-o. No entanto, apenas três foram estudadas em profundidade. A pirâmide em si é apenas uma pequena parte da maior zona arqueológica de Cholula, que é estimada em 154 hectares (0,59 sq mi). Edifício da pirâmide começou a ser construido no período pré-clássico e com o tempo foi construído mais de seis vezes às suas dimensões finais de 450 metros de cada lado na base e 66 metros de altura. Esta base é quatro vezes o tamanho do que da   grande pirâmide de Gizé e  é a maior base da pirâmide nas Américas.  Algumas das construções de pirâmides tiveram enterros, com esqueletos encontrados em várias posições, com muitas ofertas, especialmente cerâmica. O último estado de construção tem escadas no lado oeste levando a um templo no topo, onde Quetzacoalt enfrentou Iztaccíhuatl. Durante o período colonial, a pirâmide foi severamente danificada em seu lado norte, a fim de construir o Camino Real de Puebla. O lado oeste foi danificado mais tarde, com a instalação de uma linha ferroviária

Nenhum comentário

Exoplaneta “habitável” encontrado em Alfa do Centauro

postado em 25/08/2016, às 10:58

010130160824-planeta-zona-habitavel-estrela-proxima-terra-1 (1)

Impressão artística do céu visto da superfície do exoplaneta Proxima b. Sua estrela tem um tom avermelhado, podendo-se ver também a estrela dupla Alfa Centauro AB. [Imagem: ESO/M. Kornmesser]

Exoplaneta próximo

Astrônomos acabam de descobrir um planeta orbitando a estrela mais próxima do Sistema Solar, Próxima Centauro, que está a 4,22 anos-luz de nós.

Designado preliminarmente porPróxima b, o planeta é rochoso, com uma massa pouco superior à da Terra, e encontra-se na chamada zona habitável, a distância da sua estrela que garante uma temperatura adequada para a existência de água líquida em sua superfície – se lá houver água.

A estrela Próxima Centauro é uma anã vermelha, bastante fria, portanto fraca demais para ser observada a olho nu – por telescópios, ela é visível sobretudo a partir do Hemisfério Sul. Ela está na constelação do Centauro, perto do par de estrelas muito mais brilhante conhecido como Alfa Centauro AB.

Em 2012, já havia sido encontrado um exoplaneta em Alfa Centauro, considerado até agora o planeta extrassolar mais próximo de nós.

Habitabilidade e erupções de raios

Devido ao grande interesse em encontrar o exoplaneta mais próximo da Terra, a Próxima Centauro vem sendo observada regularmente por astrônomos do Observatório ESO, usando o espectrógrafo HARPS, montado em um telescópio de 3,6 metros em La Silla, no Chile – o HARPS mede a velocidade radial da estrela, que varia ligeiramente pela influência gravitacional dos seus planetas.


Em determinadas épocas, Próxima Centauro se aproxima da Terra com uma velocidade de cerca de 5 km/hora – a velocidade normal de caminhada de um ser humano – e em outras se afasta à mesma velocidade. Esse padrão regular de variação nas velocidades radiais repete-se com um período de 11,2 dias. Uma análise cuidadosa dos minúsculos desvios Doppler resultantes mostrou que estes desvios indicam a presença de um planeta com uma massa de pelo menos 1,3 vez a massa da Terra, orbitando a cerca de 7 milhões de km de Próxima Centauro – apenas 5% da distância Terra-Sol.

Embora o planeta Próxima b orbite sua estrela muito mais próximo do que Mercúrio do Sol, sua estrela é muito menos brilhante e mais fria que o Sol, o que faz com que Próxima b se situe dentro da zona habitável, com uma temperatura superficial estimada que permite a presença de água líquida. Por outro lado, as condições na superfície do exoplaneta podem ser fortemente afetadas pelas erupções de raios ultravioleta e de raios X da estrela, que são muito mais intensas que as sentidas na Terra vindas do Sol.

Pálidos pontos azuis e vermelhos

“Os primeiros indícios da existência de um possível planeta em torno de Próxima Centauro foram observados em 2013, no entanto a detecção não foi convincente. Desde essa época temos trabalhado arduamente de modo a obter mais observações a partir do solo com a ajuda do ESO e outras instituições. Preparamos a campanha Pálido Ponto Vermelho por cerca de dois anos,” conta o astrônomo Guillem Anglada, da Universidade Rainha Maria, de Londres.

O nome da campanha – Pálido Ponto Vermelho – é uma referência à famosa expressão “Pálido Ponto Azul”, de Carl Sagan, astrônomo que inspirou a NASA a virar a sonda espacial Voyager 1 para trás em 1990, para que ela fotografasse os planetas que havia visitado – na foto, a Terra foi descrita por Sagan como um pálido ponto azul.

Bibliografia:

A terrestrial planet candidate in a temperate orbit around Próxima Centauro
Guillem Anglada-Escudé et al.
Nature
Vol.: 536, 437–440
DOI: 10.1038/nature19106

Tags:

Nenhum comentário

Megaestrutura alienígena agora conta com triplo sinal

postado em 25/08/2016, às 10:42

Com informações da New Scientist –  09/08/2016

Entre as muitas explicações sugeridas para as variações da estrela estão chuvas de cometas tão intensas que seriam capazes de “apagar” um pouco do seu brilho.[Imagem: JPL-Caltech/NASA]
Galaxias

Estrela controlada por ETs

O mistério da estrela que poderia abrigar uma megaestrutura alienígena acaba de se tornar ainda mais enigmático.

A estrela, conhecida como KIC 8462852, cintila de uma forma tão irregular que alguns astrônomos especulam que ela pode abrigar um gigantesco aparato alienígena de geração de energia, conhecido como esfera de Dyson.

Tabetha Boyajian, da Universidade Yale, nos EUA, descobriu essa raridade cósmica analisando dados do telescópio espacial Kepler, que monitorou continuamente 100.000 estrelas entre 2009 e 2013. A luz da KIC 8462852 enfraquece em até 20% sem nenhum intervalo regular, o que significa que a variação não pode ser explicada pela presença de um planeta.

Vários astrônomos sugeriram uma série de explicações possíveis, mas foi Jason Wright, astrônomo da Universidade Estadual da Pensilvânia, quem primeiro defendeu que uma civilização extraterrestre avançada poderia ser responsável pelo sinal.

O Instituto SETI, que procura sinais de inteligência alienígena, logo se interessou pela estrela, mas as primeiras buscas não deram resultado:

Variações de brilho

Contudo, logo depois do alvoroço inicial, Bradley Schaefer, da Universidade Estadual da Louisiana, descobriu que a estrela estava registrada em antigas chapas fotográficas, coletadas de 1890 a 1989. Mais de 1.200 fotos mostraram que a estrela esmaeceu gradualmente em até 15% ao longo de um século.

Agora, Benjamin Montet e Joshua Simon, do Instituto de Tecnologia da Califórnia, encontraram novas variações de brilho escondidas dentro dos dados do Kepler que foram analisados originalmente por Boyajian.

Na verdade, o brilho da estrela KIC 8462852 diminui em cerca de 0,34% ao ano – duas vezes mais rápido do que o cálculo de Schaefer. Além disso, em apenas 200 dias, o brilho da estrela caiu mais 2,5% antes de começar a nivelar, uma mudança muito mais rápida do que qualquer cálculo anterior.

Isto significa que a estrela passa por três tipos de perda de brilho: as quedas profundas que a tornaram famosa, o declínio relativamente lento observado ao longo de um século e uma queda anômala que ocorreu ao longo de duas centenas de dias.

Em busca de causas naturais

Até agora ninguém se arriscou a oferecer uma hipótese para explicar as anomalias da estrela.

“Podemos chegar a cenários que explicam uma ou talvez duas delas, mas não há nada que explique bem as três”, diz Montet.

E os ETs? Será que há mesmo uma estrutura construída por alienígenas que gostam de ficar mudando suas configurações ou que têm demandas de energia extremamente variáveis?

Seria muito mais satisfatório pensar em uma única causa física que pudesse ser responsável por todas as variações de brilho que observamos. Mas ainda estamos lutando para imaginar o que poderia ser,” disse Simon.

Bibliografia:

KIC 8462852 Faded Throughout the Kepler Mission
Benjamin T. Montet, Joshua D. Simon

http://arxiv.org/abs/1608.01316

Tags:

Nenhum comentário

Hawking & Milner pretendem construir nave interestelar : Breakthrough Starshot

postado em 13/04/2016, às 14:14

stephen1

No ano passado, a busca por inteligência extraterrestre recebeu um grande impulso quando o bilionário russo Yuri Milner anunciou uma aplicação de US$ 100 milhões para varrer os céus em busca de sinais de rádio e luz emitidos por extraterrestres. Não contente em simplesmente esperar sentado até os ETs resolverem entrar em contato conosco, Milner agora pretende investir na construção de naves espaciais interestelares. Sim, é isso mesmo.

Em um comunicado conjunto no One World Observatory, em Nova York, nesta terça-feira, dia 12, Milner e Stephen Hawking apresentaram o projeto Breakthrough Starshot, um programa de pesquisa e engenharia que busca lançar as bases para uma eventual viagem interestelar. A primeira etapa do programa envolve a construção de “nanocrafts” movidas a luz que podem viajar a velocidades relativistas – até 20% da velocidade da luz. Em tais velocidades, a sonda robótica iria passar por Plutão em três dias e atingir o sistema solar vizinho mais próximo, Alpha Centauri, pouco mais de 20 anos após o lançamento.

Pela primeira vez na história da humanidade podemos fazer mais do que apenas olhar para as estrelas”, disse Milner.Nós podemos realmente alcançá-las”.

stephen2

Hoje, nós nos comprometemos com este próximo grande salto para o cosmos”, declarou Hawking durante a coletiva de imprensa de lançamento do projeto, transmitida online ao vivo para o mundo todo. “Porque somos humanos e nossa natureza é voar”.

Mini nave

A tecnologia por trás da proposta ambiciosa do bilionário – das quais protótipos foram revelados ontem – inclui um “Starchip”, um wafer (uma fina fatia de material semicondutor na qual microcircuitos são construídos) minúsculo e levíssimo, carregando câmeras, propulsores de fótons, fornecedores de energia, equipamentos de comunicação e navegação. Impulsionando esse laboratório de ciência em miniatura existe uma “Lightsail”, uma vela de navegação com escala em metros com apenas algumas centenas de átomos de espessura e pesando duas gramas. A vela de luz será lançada para longe da Terra por uma matriz de lasers agrupados por fases, que Milner prevê que terá a potência combinada de mais de 100 gigawatts, semelhante à potência necessária para levar ônibus espaciais para fora da Terra.

Nenhum comentário

Cientistas da NASA descobrem “domo” de 5 quilômetros de altura em planeta anão

postado em 14/03/2016, às 16:38

 Uma espécie de cúpula vista em Ceres, o maior corpo do cinturão de asteroides entre Marte e Júpiter, tem deixado os cientistas da NASA perplexos.
ceres domo

A equipe de sonda Dawn tem circundado Ceres em altitudes cada vez mais baixas e batizou uma estranha montanha de Ahuna Mons.

De longe, Ahuna Mons parecia ser um tipo de pirâmide, mas quando vista de perto foi descrita como uma cúpula de paredes lisas e íngremes.

As últimas imagens tiradas de Ahuna Mons pela sonda Dawn, tiradas de 120 vezes mais perto do que em fevereiro de 2015, revelaram que há muitos materiais brilhantes em algumas de suas encostas e menos em outras.

Em seu lado mais íngreme, possui cerca de 5 quilômetros de altura.

Ninguém esperava ver uma montanha em Ceres, especialmente como Ahuna Mons, disse Chris Russell, principal pesquisador da equipe de sonda Dawn, na Universidade da Califórnia, LA. off

“Ainda não temos um modelo que explique sua formação”.

“Ceres desafiou nossas expectativas e nos surpreendeu em diversos aspectos, graças a um ano de coleta de dados da sonda Dawn”. “Estamos trabalhando arduamente com os mistérios que a sonda nos trouxe”, disse Carol Raymond, do Laboratório de Propulsão de Jato da NASA, em Pasadena, Califórnia.

Fonte : Rob Waugh no Yahoo

Tags:

Nenhum comentário

« Postagens mais antigas

Busca

O Autor

jorge poggi

Jorge Poggi, Carioca, Sagitariano, é Economista, Administrador de empresas, Ufólogo e Arqueólogo de campo amador.

gmail myspace facebook orkut twitter

Fale com o Jorge

captcha

  • Blogs e sites parceiros